segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Solar dos Pascoaes


A poucos quilómetros de Amarante, na localidade de Gatão, existe uma casa. Dizem que foi habitada por génios, loucos e poetas, que durante gerações iluminou as trevas das serranias do Marão, que espantou os demónios e aproximou os anjos. Dizem. Este Verão também por lá andei. Já lá tinha estado antes de chegar e ainda lá fiquei depois de partir. Acho mesmo que ainda por lá vou ficar um bom par de anos, ou se calhar nunca mais de lá sairei. Há sítios assim, sítios que esperam uma vida inteira por nós e que depois de nos cruzarmos nada mais será como dantes.

2 comentários:

Imanol López disse...

Hola rui. Me gusta mucho todo tu trabajo. Pero esta técnica que no domino me ha dejado maravillado.
Un saludo.

rui sousa disse...

Olá Imanol. São as tecnologias a roubar o espaço aos suportes tradicionais. Será possível fazer diários de viagem com o computador à frente, bem no aconchego do lar? Os puristas dos cadernos e dos pincéis não vêem a tecnologia como muito bons olhos, mas eu não gosto muito de ideias feitas. Fico contente que tenhas gostado, também sou um frequentador do teu blog, o qual gosto imenso. Um grande abraço.